skip to Main Content
(44) 3029-5309 der@dernegocios.com.br (44) 99923-4544          

Método de Valuation: o Fluxo de Caixa Descontado em quatro etapas

Método De Valuation: O Fluxo De Caixa Descontado Em Quatro Etapas

Se você já desejou saber quanto vale sua empresa deve ter ouvido falar no Fluxo de Caixa Descontado (FDC). Esse é o método de valuation que apresenta maior rigor técnico e conceitual e, por consequência, o que desfruta de mais credibilidade no mercado. Nesse artigo detalhamos como funciona esse método de avaliação de empresas. Apresentamos o passo a passo do cálculo do Fluxo de Caixa Descontado, bem como, um breve conceito sobre o método. Então, se você quer entender melhor como o FDC pode dar credibilidade à apuração do valor de sua empresa, aproveite nosso artigo!

Saiba o que é o Fluxo de Caixa Descontado (FDC)

Esse método de valuation parte da premissa de que o valor de uma empresa está diretamente relacionado ao montante de recursos financeiros que ela tem capacidade de gerar no futuro. Desse modo é preciso calcular o valor presente dos fluxos de caixa previstos no futuro.

O FDC considera a capacidade de a empresa gerar caixa por meio de suas características operacionais normais independentemente das fontes de financiamento de que se utilize. E o fluxo de caixa é estimado a partir de ajustes no lucro operacional, que é aquele que a empresa teria se não houvesse nenhuma dívida.  Nesse cálculo são contabilizados os investimentos a serem feitos em ativos imobilizados (como máquinas e equipamentos), o CAPEX, e no capital de giro operacional da empresa. Se a empresa analisada tiver regime tributário Lucro Real, soma-se ainda a depreciação.

O passo a passo do método de valuation FLUXO DE CAIXA DESCONTADO (FCD)

O processo de avaliação por meio desse método segue algumas etapas, conforme descrevemos na sequência. A saber:

  1. Levantamento de informações; 
  2. Projeções dos fluxos de caixa futuros;
  3. Determinação da taxa de desconto para trazê-los a valor presente;
  4. Estabelecimento do valor da empresa;

1- Saiba quais informações de sua empresa são necessárias para realização do valuation

A análise da riqueza que a empresa poderá produzir no futuro só pode ser feita a partir do conhecimento de sua realidade interna e dos fatores de mercado que a impactam.

Essas informações são fundamentais também para o estabelecimento da taxa de desconto que será utilizada para trazer a valor presente, o fluxo de caixa esperado para o futuro.

Por isso, o avaliador precisará levantar dados e informações sobre o desempenho histórico da empresa e, além disso, considerar seu cenário atual a partir da análise dos seguintes aspectos: método de valuation

  • econômico-financeiros (direcionadores de valor, o retorno do investimento, a diversificação de ativos e de risco, a relação entre giro e margem operacional, custo e estrutura de capital, etc.);
  • contábeis (DRE e Balanço Patrimonial);
  • comerciais (portfólio de produtos; margem dos produtos);
  • operacionais e de gestão do negócio (processos e análise dos departamentos);

São analisados também ativos tangíveis e intangíveis, pontos fortes e fracos, riscos e oportunidades. Desse modo, o comportamento do mercado para aquele segmento também é considerado por meio de variáveis sócio-econômicas como:

  • desempenho do negócio;
  • expansão da demanda e da concorrência;
  • tendências de negócios e de novos produtos;
  • oferta de crédito;
  • preços de comodities;
  • taxa de juros;
  • crescimento do PIB;
  • inflação;
  • taxa de câmbio.

Fluxo de Caixa DescontadoÉ importante destacar que somente a partir do correto levantamento e análise desses dados é possível realizar projeções financeiras seguras quanto ao potencial produtivo da empresa avaliada.  E ainda garantir rigor técnico na mensuração do valor presente dessa riqueza potencial projetada.

Justamente por ser imprescindível o acesso a suas informações estratégicas, a empresa precisa requerer, em contrato, o compromisso do avaliador com o sigilo e confidencialidade.

2 – Saiba como são feitas as projeções dos fluxos de caixa futuros

Como dissemos, o Fluxo de Caixa Descontado apura o valor da empresa pela riqueza que ela produzirá no futuro. Em outras palavras, esse método de valuation fará a mensuração do quanto a empresa poderá produzir de riqueza no futuro considerando suas potencialidades e os riscos internos e externos.

O fluxo de caixa é projetado a partir da realização de ajustes em seu lucro operacional, que é o lucro da empresa quando não há dívidas significativas. O cálculo da projeção do fluxo de caixa segue a lógica do exemplo da sequência.

CÁLCULO DE FLUXO DE CAIXA
Receitas brutas da empresa

(-) Impostos sobre a receita (Cofins, PIS, ISS, IPI e ICMS)

(=) RECEITAS LÍQUIDAS

(-) Custos operacionais (1)

(-) Despesas operacionais (2)

(=) EBITDA

(-) Depreciação (se Lucro Real)

(=) LUCRO ANTES DOS JUROS E DO IR (3)

(-) Imposto de Renda e Contribuição Social (4)

(-) Impostos sobre a receita

(=) LUCRO OPERACIONAL APÓS IR (NOPAT)

(-) Invest. em ativos permanentes e capital de giro

(+) Depreciação (se Lucro Real) (5)

(=) FLUXO DE CAIXA

  1. Custos: gastos diretamente relacionados com a produção
  2. Despesas: gastos relacionados às outras área
  3. Imposto de Renda
  4. Eventuais prejuízos fiscais devem ser abatidos da base de cálculo do IR
  5. São somadas novamente porque não representam saídas de caixa;

Seguindo essa lógica, a projeção do fluxo de caixa é feita em duas frentes. Primeiro, calcula-se o fluxo de caixa que a empresa pode produzir dentro de um período previsível, geralmente fica em torno de 10 a 15 anos a frente. É o chamado fluxo de caixa explícito.

Mas, a maioria das empresas continuará operando e produzindo fluxo de caixa depois desse horizonte de tempo esperado por período indeterminado. Por isso, também é necessário calcular o valor desse fluxo de caixa contínuo, que também é chamado de valor de perpetuidade ou valor residual. E o período de cálculo do fluxo de caixa contínuo começa no final do período de projeção explícito.

3 – E como o fluxo de caixa projetado é trazido a valor presente ?

Naturalmente  ambos os fluxos de caixa projetados, o explícito e o contínuo, não podem ser considerados integralmente porque o capital utilizado na operação e/ou expansão da empresa tem um custo.

Esse custo de capital representa a taxa mínima de retorno esperada para que aquele investimento se justifique, ou seja,  reflete o risco do negócio. Esse custo de capital equivale a taxa de desconto que deve ser aplicada a ambos os fluxos de caixa projetados para trazê-los a valor presente.

Naturalmente, a definição do custo de capital ou taxa de desconto a ser aplicada é variável. Quanto maior o risco, maior o custo do capital e vice-versa. Por isso, sua determinação é um dos aspectos mais delicados de uma avaliação.

A apuração da taxa de desconto é feita a partir da definição de estrutura de capital da empresa e do risco, a partir de uma média de mercado.

Existe mais de uma maneira para se calcular a taxa de desconto a ser aplicada, a depender da fonte do capital. Mas, entre as metodologias mais utilizadas, está o Custo Médio Ponderado de Capital (WACC), que é a média ponderada das duas fontes comuns de financiamento, que são o  custo de capital próprio (credores e acionistas) e o custo de capital de terceiros (financiamento, investimento).

4 – Enfim, saiba como se chega ao valor da empresa

Finalmente, é possível chegar ao valor da empresa a partir da soma dos valores do fluxo de caixa explícito ao de perpetuidade (fluxo de caixa contínuo), depois de ambos terem sido trazidos a valor presente.

É importante considerar que o objetivo do valuation não é oferecer um valor exato para a empresa, mas uma faixa de valor justa e defensável. Por isso, é muito comum que o avaliador trabalhe com a aplicação de diferentes taxas de desconto, representativas de pelo menos dois cenários, sendo um otimista e o outro pessimista.

Conheça as aplicações do método de valuation Fluxo de Caixa Descontado

Esse método de valuation tem aplicabilidade em diversas situações do mercado. Veja vários casos para os quais é interessante determinar o valor de uma empresa:

  1. Operações de fusões e aquisições;
  2. Realização de cisões;
  3. Realização de joint-ventures;
  4. Compra e venda de participações;
  5. Abertura e fechamento de capital;
  6. Análise de investimentos;
  7. Determinação do preço justo de uma ação;

Agora que você já conheceu o rigor técnico e conceitual do Fluxo de Caixa Descontado, pode ser interessado em saber o valor de sua empresa. Esse é o seu caso, entre em contato conosco. Se preferir, pode nos contatar por Whatsappwhatsapp-d&r negócios.

Veja também aplicação da lógica desse método de valuation ao Teste de Impairment.

D&R Negócios Avaliação Compra e Venda de EmpresasAv. Bento Munhoz da Rocha Neto, 632 – 5º andar, sala 502 – Zona 07 – Centro Empresarial Átrium – Maringá – PR

(44) 3029-5309 / 9 9923-4544 

Linkedin / Linkedin – Page Company  / Fanpage  /D&R no Youtube 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top